• pt-br

5 passos para criar uma aula de introdução excepcional

Nem sempre a inscrição do aluno é garantia de que ele realmente irá fazer seu curso. Na verdade, a maioria dos alunos pode nem solicitar reembolso, mas também pode não concluir seu curso e não deixar uma avaliação positiva. Alguns alunos podem conferir a prévia de seu curso, mas não fazer a inscrição. Em todo caso, é melhor garantir a atenção de seus alunos logo no início. É por isso que criamos este tutorial sobre como criar uma aula de introdução de sucesso.

1º passo: saiba o que seus alunos querem ouvir

Coloque-se no lugar dos seus alunos. Se você praticou os exercícios na primeira parte desse e-book, provavelmente consegue imaginar as dúvidas que os alunos podem ter ao começar seu curso:

  1. Este é o curso certo para mim?
  2. Este curso abordará os temas certos?
  3. Este é o instrutor certo para me ensinar?
  4. Valerá a pena eu dedicar meu tempo a isto? Será divertido?

Mesmo que você tenha esclarecido algumas ou todas essas dúvidas em sua descrição, é importante esclarecê-las também em seu vídeo de introdução. É aí que você mostra para os alunos que entende as preocupações deles e que tomou os devidos cuidados para esclarecê-las.

2º passo: decida como você deseja esclarecer cada ponto

Como você pode esclarecer cada uma das dúvidas importantes que os alunos têm quando começam a visualizar seu curso pela primeira vez?

  • 1ª dúvida importante: este é o curso certo para mim?

Este é o curso certo para seus alunos em potencial? Como eles saberão? Como instrutor, você precisa mostrar que eles fizeram a escolha certa ao se inscreverem em seu curso. Para fazer isso, imagine-se completando a frase: “Criei este curso para…”. Se você já tinha um público-alvo em mente quando criou seu curso, a aula de introdução será o lugar certo para descrever esse público.

Faça uma revisão de seu curso existente e veja se consegue identificar um público-alvo principal que aproveitaria seu curso ao máximo. Pergunte a si mesmo: o que esse aluno já sabe? O que ele está procurando aprender? Em sua aula de introdução, dirija-se a esse público-alvo principal e diga como aproveitar o curso ao máximo.

  • 2ª dúvida importante: este curso abordará os temas certos?

Os alunos não têm noção do que não sabem. Eles querem que você diga o que precisam saber. Mas eles não querem que você se limite apenas a dizer isso. Os alunos precisam de uma explicação plausível sobre como o assunto abordado em seu curso irá ajudá-los a alcançar os objetivos deles. Você não precisa defender uma causa como se fosse um advogado (a não ser que o curso seja sobre como tornar-se um advogado!), mas precisa expor como as seções e as aulas criadas proporcionarão aos alunos os conhecimentos e as habilidades que eles procuram adquirir.

Para conseguir isso em sua aula de introdução, diga quais são os objetivos do curso, descreva onde seu curso se encaixa dentro das metas mais amplas de seu público-alvo e faça uma breve visão geral ou uma descrição da grade curricular para demonstrar que ela abrange todo o assunto necessário. O truque aqui é demonstrar o valor sem ser exaustivo e entediante. Então, não importa o que você faça, não fale de maneira monótona sobre todos os temas que serão abordados no curso. Em vez disso, concentre-se no que seus alunos farão no curso e na relevância do que eles aprenderão. Os alunos gostarão quando você defender o quão valioso e bem elaborado é o curso. Você conquistará a confiança deles, o que ajudará a esclarecer a 3ª dúvida importante.

  • 3ª dúvida importante: este é o instrutor certo para me ensinar?

Os alunos precisam saber que podem confiar em você. Para que eles se comprometam em adquirir o novo conhecimento, é fundamental que eles confiem na fonte desse conhecimento. Se não puderem confiar em você, não poderão aprender com você. Mas isso não significa que eles querem ouvir a história completa da sua vida ou ver esmiuçada cada qualificação que consta no seu currículo. Então, em vez de justificar por que seus alunos devem escutá-lo, mostre a eles que você pode escutá-los.

Sua aula de introdução é o melhor lugar para você demonstrar que entende seus alunos e as frustrações e aspirações deles. Você se esforçou muito para aprender tudo que o tornou um especialista no assunto que seu curso abrange, e seus alunos deverão fazer o mesmo. Em vez de colocar uma barreira entre você e os alunos descrevendo o que já conquistou e eles não, estreite a relação com eles lembrando como é estar no lugar deles. Mostre que se lembra de como era lutar com os conceitos que agora ensina e que você sabe como ajudá-los a aprender de maneira eficaz. Isso vai lhe proporcionar toda a credibilidade de que precisa. É claro que não custa nada incluir um pouco de bom humor no processo. Por isso, você não precisa ser muito sério aqui, apenas relacionável. 

  • 4ª dúvida importante: tédio

Precisamos admitir: às vezes, aprender pode ser entediante. O aprendizado online pode parecer isolado e monótono. Mas não precisa ser. Então, os alunos sempre ficarão um pouco preocupados com o fato de que, embora tenham de aprender algo, esse processo poderá ser difícil ou entediante.

Se você conquistou a confiança deles, tanto em você quanto na grade curricular do curso, tudo que você precisa fazer é inspirá-los, e eles terão um incentivo. Uma das maneiras mais fáceis de inspirar os alunos é compartilhar seu entusiasmo a respeito do que eles estão aprendendo. Os alunos apreciam um instrutor entusiasta e enérgico. Você não precisa dar um show de canto e dança, mas também não pode ler monotonamente um roteiro. Resgate a alegria que você sente com o tema escolhido para o curso e compartilhe-a com os alunos. Se encontrar algo intrigante, expresse sua curiosidade. Se identificar algo que valha a pena ser mencionado, destaque o tema e explique por que isso é importante. Resumindo, lembre-se de um fato essencial:

Quando você ensina com prazer, seus alunos ficam muito mais propensos a aprender.

Então, divirta-se! E seus alunos se divertirão também.

Você está pronto? Vamos juntar tudo isso e…

3º passo: escreva seu roteiro

Agora você já sabe que sua aula de introdução é importante. Mesmo que não queira apenas ler roboticamente o que está no roteiro, é bom escrever um para garantir que as dúvidas acima sejam esclarecidas. Elaborando um roteiro primeiro, você também terá uma noção de tempo. Você está gastando muito tempo para estabelecer sua credibilidade? Deixou pouco tempo para falar da adequação do curso aos alunos? Escrever o roteiro de introdução é uma ótima forma de assegurar o esclarecimento de todas as dúvidas importantes acima e servirá para lembrar você de como seu curso é realmente interessante!

Outro motivo para você escrever um roteiro é a necessidade de aparecer “em carne e osso” em seu vídeo de introdução. Sem mostrar seu rosto, fica difícil estabelecer uma relação de credibilidade com os alunos. Seu roteiro deve ser ensaiado e apresentado com entusiasmo diante da câmera. Nada reflete melhor sua confiança no curso do que se colocar diante da tela e explicar os porquês. Mas você precisará de um roteiro para não parecer que você está inventando tudo na hora ou tentando se lembrar por que os alunos precisam fazer o curso.

4º passo: decida como você gravará a introdução

Bom, você sabe que tem de gravar um vídeo seu, mas há várias outras decisões que precisam ser tomadas para definir o tom de seu curso no primeiro vídeo. Por exemplo, você quer adotar uma postura informal para deixar os alunos mais à vontade? Ou seria melhor parecer entusiasmado e ansioso para começar?

O fundo escolhido para compor o cenário, a iluminação e as atividades apresentadas podem ajudar a estabelecer o tom certo para seu curso. Ou podem cair por terra se você não tiver cuidado. Por exemplo, se seu curso for voltado para paraquedistas profissionais que querem aprender novas técnicas, você pode gravar seu vídeo de introdução no meio de um salto. Mas, se for ensinar para os iniciantes como superar o medo do primeiro salto, talvez seja melhor gravar o vídeo enquanto toma café na cabine do avião para demonstrar sua calma na hora de subir e encarar o desafio.

Ao se preparar para a gravação, leve também em consideração o seguinte:

  • Controle do tempo: você consegue dizer tudo que precisa ser dito em poucos minutos?
  • Acessórios: você precisa de mais alguma coisa além da câmera e de você mesmo?
  • Plano de fundo: o que ajudará a causar uma boa impressão? (ex.: não use uma parede vazia se uma estante funcionar melhor ou vice-versa)
  • Outras pessoas: precisa de mais alguém para ajudá-lo a gravar ou para interagir com você diante da câmera?

De todos os vídeos de seu curso, esse provavelmente será o mais visualizado. Portanto, seja criterioso com ele. Pense com calma e…

5º passo: faça direito!

Quando você for se preparar para gravar e editar suas aulas, reserve tempo para a aula de introdução. No entanto, também é importante reservar algum tempo para regravá-lo ou fazer um novo, conforme necessário. Seus alunos dirão se você não tiver conseguido esclarecer as preocupações deles. Talvez você tenha uma boa ideia de como inspirar os alunos a fazer seu curso depois de receber o feedback deles. Então, grave, regrave e reserve um tempo para refazer esse vídeo de introdução, conforme necessário. Você saberá se precisará refazê-lo se notar que há uma grande quantidade de alunos inscritos em seu curso, mas que não mantêm o interesse após o primeiro vídeo. Não tenha medo de procurar esse feedback. Os alunos mais envolvidos deixam avaliações mais positivas e relatam maior satisfação. Vale a pena ajudá-los a se envolver com seu curso oferecendo uma aula de introdução bombástica!

Got Something To Say:

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*

nove + 4 =