• en
  • es
  • de
  • ja
  • fr
  • it
  • tr
  • pl
  • pt-br

Como viralizar com Juan Gabriel Gomila Salas

Para ser um instrutor da Udemy bem-sucedido, é preciso mais do que apenas gravar ótimas aulas. Também é preciso desenvolver autoridade para seu curso, promovendo-o em redes sociais. Embora isso possa parecer um pouco assustador, é algo que qualquer um pode fazer, como explica Juan Gabriel Gomila Salas, instrutor da Udemy. Juan Gabriel tem mais de 10 mil avaliações em seus 42 cursos, além de seguidores fiéis nas redes sociais. É claro que no começo não era assim. Ele conseguiu isso lentamente, começando com as pessoas que ele já conhecia.

Conversamos com Juan Gabriel quando ele esteve em São Francisco para o Udemy Live sobre como ele começou, como ele usa o YouTube e como mostrar a personalidade dele o ajudou a construir todo esse sucesso.

A entrevista foi editada por questões de brevidade. Ouça a entrevista completa (em inglês)

 

Udemy: Como você fez para seus cursos da Udemy ficarem populares?

Juan Gabriel: Comecei com o sistema de envio de e-mails (os Anúncios) da Udemy, que é muito bom porque você tem duas oportunidades por mês de promover cursos diferentes. Você pode segmentar, por exemplo, um mês para fazer uma campanha relacionada a videogames e outro para desenvolvimento de app. E você pode experimentar estratégias diferentes.

Na verdade, ontem eu publiquei meu curso mais recente sobre desenvolvimento no iOS, e só precisei enviar um e-mail: “Oi, esse é meu novo curso. Você tem acesso antecipado, pois ele ainda não está finalizado.”

As pessoas realmente se interessaram por ele, mais de 150 alunos só na primeira hora. Então é muito bom nesse sentido. Além de ser uma ferramenta muito potente. Eu também costumo usar o Facebook. Comecei uma pequena comunidade no Facebook onde as pessoas vão para conversar sobre seus problemas com desenvolvimento e conhecer o instrutor, por exemplo.

Agora, eu a complementei com um canal no Discord, que é uma comunidade onde as pessoas podem conversar em tempo real. Então, se alguém tiver uma dúvida sobre o curso ou sobre a solução de TI, podem acessá-la e não precisam esperar que eu responda na seção de perguntas e respostas na Udemy. Eles podem começar a aprender sozinhos, o que é um recurso muito importante para o aprendizado. Eles sabem das coisas e podem compartilhar entre si.

Udemy: Como você desenvolveu a sua comunidade no Facebook?

Juan Gabriel: Aconteceu por acidente. Eu estava experimentando técnicas diferentes e comecei essa. Também abri um canal no YouTube, que está com um desempenho muito bom. Já tem 3.500 alunos. Eles não são alunos no YouTube, mas experimente. Só experimente.

Foi muito interessante, porque no YouTube você pode compartilhar diretamente uma parte do conteúdo dos seus cursos. E você pode continuar publicando dois ou três vídeos por semana. Então as pessoas começam assistindo o conteúdo gratuito e acabam virando alunos pagantes na Udemy.

No caso do Facebook, é mais para a publicação de conteúdos diferentes, não apenas relacionados aos cursos, mas também, por exemplo, novas publicações, novo conteúdo, novo software, novos lançamentos. Tudo que possa interessar pessoas diferentes, então elas terão valor agregado ao instrutor ou ao curso que já compraram na Udemy.

Udemy: Então a promoção do curso faz parte do que você está fazendo?

Juan Gabriel: Sim. Por exemplo, eu viajei para São Francisco. Tentei publicar muitas fotos e até vídeos curtos. Outro exemplo: ontem fomos para Twin Peaks e eu gravei um vídeo curto de 30 segundos sobre a névoa, sobre o clima de São Francisco. E os alunos gostam desse tipo de coisa porque eles conhecem a pessoa por trás do conhecimento que eles já viram na Udemy.

Udemy: Que incrível. Então sua personalidade ajuda você a vender cursos porque eles conhecem você melhor.

Juan Gabriel: Sim. Acho que as pessoas não se prendem a assuntos, elas se prendem às pessoas por trás desses assuntos. Eles podem fazer o meu curso. Eles podem fazer o curso de qualquer pessoa. Eles não precisam aprender comigo. Mas é a pessoa por trás do curso que acaba os cativando, e eles acabam comprando um curso atrás do outro.

Udemy: Você já participou de outras comunidades? Você já entrou no Facebook e participou de uma comunidade lá para promover seu curso?

Juan Gabriel: Sim. Na verdade, no meu último curso sobre aprendizado de máquina, tentei procurar comunidades sobre Python e R Studio que estão focadas em ciência de dados e aprendizado de máquina.

Primeiro, comecei entrando em contato com as diferentes pessoas na comunidade. Não dá para chegar e falar “Oi, esse é meu novo curso”. Não… primeiro, você se apresenta. Eu sou matemático. Dou aulas na universidade. Veja alguns vídeos gratuitos no meu canal do YouTube.

Depois de fazer esses contatos uma vez por mês, talvez duas vezes, você continua publicando cupons para conquistar os diferentes tipos de pessoa nessas comunidades. Elas tendem a ser comunidades enormes, com 20 a 50 mil pessoas participando. Então essa é uma ótima maneira para estabelecer diferentes maneiras de expandir seu conhecimento. Sua base de conhecimento.

Udemy: Você é meio como um amigo. É como um especialista.

Juan Gabriel: Sim, é como eu disse. As pessoas se conectam ao instrutor. É provável que todos nós nos lembramos de um professor na faculdade ou no colégio que nos ajudou dando uma dica sobre o que fazer a seguir.

É o que eu tento fazer, dar algumas dicas grátis. Vídeos grátis. Compartilho informações. Então as pessoas pensam “Esse instrutor… Por que ainda não comprei o curso dele na Udemy?”

Udemy: Parece que os cupons de curso também são valiosos para você.

Juan Gabriel: Sim. Na verdade, eu tento aplicar o menor preço. Pense em vinte reais, talvez 22 ou 25. Tentei aplicar preços de até 40 reais, mas as pessoas não compram com esse valor. Então, você mantém em 20, 22.

Ontem, por exemplo, ao lançar o novo curso do iOS 12, apliquei o preço de 25. E comecei fazendo o curso particular, então quem já é meu aluno sabe a senha. E eles se sentem como se fossem VIP.

“Nossa, isso é exclusivo para mim”. Vou comprar agora mesmo, ser o primeiro no novo curso do Juan Gabriel. E deu tudo muito certo.

Udemy: Então digamos que alguém queira promover o curso no Facebook, talvez criar um grupo e ainda não tem nenhum tipo de seguidor. Talvez só o cachorro ou a vó dele. O que ele deve fazer primeiro?

Juan Gabriel: Acho que comecei com a minha família e amigos da empresa. Na época eu trabalhava em uma empresa de games na Espanha. E aí conversei com todo mundo, tipo “então, tem essa comunidade nova que eu estou começando”. Até dei alguns cupons gratuitos da Udemy, então eles começaram sendo meus primeiros alunos.

Depois eu pensei que combinar duas redes sociais diferentes seria muito útil. Por exemplo, publicar um vídeo no YouTube. Começando, por exemplo, uma vez por semana e promovendo na sua comunidade do Facebook, para combinar essas duas coisas. Essa é maneira mais fácil de começar algo novo.

Udemy: Quanto tempo você diria que você gasta por semana nas redes sociais para seus cursos?

Juan Gabriel: Hoje em dia, não muito. Geralmente gasto duas ou três horas por semana. Não é muita coisa. Mas agora que eu estou lançando cursos novos ou sempre que eu lanço um curso novo preparo duas ou três publicações, cupons diferentes, o lembrete da oferta de 24 horas. Esse tipo de coisa, eu me preparo um pouco mais do que o normal.

Udemy: Há alguma coisa que você acha que os instrutores não devem fazer ao planejar suas estratégias de rede social para promover os cursos?

Juan Gabriel: Sim. Eu já tentei trabalhar com anúncios do Facebook. Deu certo para mim em dois ou três cursos. Cursos muitos específicos sobre aprendizado de máquina. Por exemplo, esse foi um assunto com bastante destaque nesse ano.

Mas essa não é a melhor maneira de fazer isso, porque a Udemy tem o marketing, tem o dinheiro aplicado, tem a plataforma. E eu tenho o que eu sei fazer, que é criar conteúdo e compartilhar conhecimento.

Udemy: Qual é a primeira coisa que você sugeriria para alguém que está começando agora?

Juan Gabriel: A primeira coisa a se fazer é abrir um canal do YouTube. O YouTube é muito eficaz. Mesmo se você otimizar a descrição do vídeo. Você pode ir mais longe do que apenas publicar um curso na Udemy.

Se um cliente em potencial chegar até a Udemy, a primeira coisa que ele vê é o preço. Ele tem que comprar. Então você pode ter alguns vídeos gratuitos, mas não é uma venda direta. Você provavelmente precisa conhecer o autor ou o instrutor, ou ver avaliações o suficiente para confiar.

O YouTube é grátis. Você entra no YouTube. Assiste a um vídeo. Assiste a outro. Então provavelmente a primeira coisa que eu faria é criar um canal do YouTube com 10% a 20% do curso gratuitamente, para as pessoas poderem experimentar. As pessoas podem avaliar.

E também é um tipo de feedback para o instrutor. Porque se você começar a ver alguns polegares para cima, verá que está no caminho certo. Se você começar a ver polegares para baixo, pode considerar que essa não seria a melhor coisa para publicar na Udemy.